Orientações ao Paciente

Manual de Orientação para Pacientes em Tratamento Quimioterápico

Manual de Orientação para Pacientes em Tratamento Quimioterápico

OBJETIVO

Este manual tem como objetivo ajudar a conhecer os principais efeitos, os cuidados que você deve ter durante o tratamento quimioterápico e assim, conhecer os benefícios que o tratamento quimioterápico poderá proporcionar.

A quimioterapia pode causar alguns efeitos colaterais indesejáveis, mas ao saber mais sobre eles, poderá lidar melhor com a situação e participar ativamente de seu tratamento. Abordamos somente alguns pontos importantes do tratamento, procure não fazer generalizações, pois o tratamento que está recebendo é totalmente programado para você.

Leia as dicas e discuta sempre com o seu médico e a sua equipe, que estarão sempre dispostos a esclarecer suas dúvidas.

EQUIPE

Nosso setor possui equipe multidisciplinar com as seguintes especialidades: 

Oncologistas, nutricionista, terapeuta e enfermagem.

O QUE É CÂNCER?

O câncer é um grupo de doenças caracterizada pela divisão desordenada de determinadas células do corpo, que sofreram uma alteração no seu código genético, com o crescimento dessas células, ocorre a formação de tumores e as outras células normais começam a ser destruídas.

A partir do momento em que as células malignas passam para a corrente sanguínea ou vasos linfáticos e atingem outros órgãos, ocorre a metástase.

CÂNCER TEM CURA?

Atualmente muitos tipos de câncer podem ser curados. A possibilidade de cura depende do tipo e do estágio em que o diagnóstico foi feito. O câncer tratado precocemente tem bom prognóstico.

Em casos de câncer avançado, ou em alguns tipos mais agressivos, podemos fazer tratamentos que ofereçam aos pacientes o controle de sua doença, mantendo a qualidade de vida e aumentando a sobrevida.

QUAIS OS TIPOS DE TRATAMENTO?

A proposta de tratamento para cada paciente depende das características específicas que o tumor apresenta, sua localização, tamanho, presença ou não de metástases e com isto precisar de um ou mais tipos de tratamentos associados.

Tratamento cirúrgico: é o mais antigo dos tratamentos, onde ocorre a remoção do tumor que pode ser curativa, paliativa ou reconstrutiva. 

Tratamento radioterápico: é o tratamento feito por meio de radiações ionizantes, aplicada diretamente na área do corpo afetada, com a finalidade de destruir as células tumorais.

Tratamento imunoterapia: é o tratamento feito com uso de medicamentos, para ajudar o próprio organismo a combater a doença, com o aumento de suas defesas .

Tratamento hormonioterápico: é o tratamento realizado com hormônios, para os casos em que o tumor é influenciado por essa substância.

O QUE É A QUIMIOTERAPIA?

Quimioterapia é uma modalidade de tratamento que utiliza medicamentos com a finalidade de inibir, controlar o crescimento das células ou destruir as células responsáveis pela doença.

A quimioterapia pode ser usada isolada ou associada a outras tipos de tratamento, como a cirurgia ou radioterapia.

VIAS DE ADMINISTRAÇÃO

Via oral: o paciente recebe o medicamento pela boca;

Intravenoso ou endovenoso: medicamento é administrado pela veia;

Intramuscular: medicamento é feito no músculo;

Subcutânea: medicamento é administrado sob a pele;

Intratecal: medicamento é administrado na coluna vertebral, pelo médico;

Intracavitária: medicamento é administrado dentro do espaço pleural ou intraperitonial.

TEMPO DE DURAÇÃO DO TRATAMENTO

O tempo de tratamento varia de um indivíduo para outro. O médico quem 

determina e estipula o melhor ciclo.

As aplicações podem ser diárias, semanais ou mensais,dependendo de cada caso específico.

O paciente é avaliado periodicamente, sendo que em alguns casos o esquema

pode ser alterado para que se tenha uma resposta mais eficaz.

EFEITOS COLATERAIS

Como a quimioterapia circula por todo o corpo a fim de atacar as células malignas, ela também pode atingir as células normais, causando alguns efeitos colaterais indesejáveis, mas essas reações são passageiras. Durante o tratamento são feitos medicamentos que diminuem os efeitos colaterais.

Citaremos algumas reações mais comuns entre os pacientes, lembrando que você pode ou não apresentar esses sintomas, uma vez que cada indivíduo responde de formas diferentes ao tratamento.

NÁUSEAS E VÔMITOS

Ao receber quimioterapia o paciente pode apresentar náuseas e vômitos os quais podem ser intensos, ou não, dependendo do tipo de medicação usada e do paciente.

Esse efeito colateral é decorrente da irritação nas paredes do estômago e intestino, ou da ação direta do quimioterápico no sistema nervoso central. Os sintomas podem ocorrer após horas ou dias do término da quimioterapia. Atualmente, existem vários medicamentos modernos que ajudam na prevenção e redução dos sintomas. Os medicamentos podem ser administrados no dia da quimioterapia ou após a quimioterapia, em casa e sua eficiência varia de pessoa a pessoa.

Dicas :

•  Não comparecer à aplicação em jejum;

•  Beber líquidos lentamente, durante todo o dia;

•  Comer alimentos frios ou em temperatura ambiente;

•  Comer alimentos de fácil digestão, evitando comidas gordurosas, muito temperada, ácidas, frituras, café;

•  Ao acordar, se estiver com náuseas, ingerir alimentos secos;

•  Descansar, mantendo o ombro e a cabeça numa posição mais elevada, mas não deitar logo após as refeições;

•  Algumas vezes o sintoma pode estar relacionado com o emocional, nos dias que

antecedem a aplicação, priorizar atividades relaxantes, para evitar a ansiedade;

•  Comer devagar, mastigando bem os alimentos, pequenas porções, várias vezes ao dia, de 3 em 3 horas ou 2 em 2 horas;

•  Comunicar o médico em casos de vômitos intensos para evitar a desidratação;

•  Tomar medicamento somente com consentimento médico e caso não melhore o sintoma comunicar o seu médico ou a equipe.

PERDA DO APETITE

A perda de apetite pode ocorrer durante o tratamento , e pode ter diversas causas :  alterações no paladar, mucosite, náuseas, mal estar geral, problemas emocionais (medo, ansiedade, depressão).

É importante que o paciente esteja em um bom estado nutricional.

Dicas:

•  Fazer pequenos intervalos  e comer em pequenas porções;

•  Não ficar em áreas de preparo de alimentos;

•  Evitar alimentos apimentados, quentes, gordurosos;

•  Consumir alimentos  leves como: frutas, verduras, iogurte, arroz, batata, massa, carnes brancas;

•  Comer em ambiente calmo, longe de cheiros fortes.

ALTERAÇÕES NO PALADAR

O paladar pode ficar alterado. Seus alimentos preferidos podem adquirir gosto diferente. 

Dicas:

•  Fazer bochechos antes das refeições;

•  Experimentar alimentos ácidos como laranja ou limão (evitar se ocorrer mucosite).

MUCOSITES

Alguns medicamentos podem afetar as mucosas sejam elas: na boca, esôfago, vagina ou  no intestino. Isto pode ocorrer como desconforto na mucosa, sensibilidade a alimentos ácidos, temperados ou quentes, surgimento de dor, descamação, ulceração e alteração na produção de saliva (aumento de salivação ou diminuição da saliva). É importante comunicar o médico, lembrando que a prevenção é o melhor remédio.

Dicas:

•  É importante manter a boca sempre limpa, usar escova de dentes macia e em caso de prótese mantê-las sempre limpas; 

•  O uso do fio dental deve ser suspenso durante a mucosite;

•  Manter hidratação dos lábios com uso de manteiga de cacau ou outro produto similar;

•  Comer pequenas porções de alimentos;

•  Dar preferência a líquidos, leves e de fácil digestão;

•  Evitar procedimentos invasivos, sem prévio conhecimento médico;

•  Evitar alimentos com condimentos fortes, picantes;

•  Evitar alimentos muito quentes ou frios;

•  Evitar alimentos ácidos, crus, duros ou secos;

•  Fazer bochecho com uma das soluções abaixo de acordo com a recomendação médica e ou da enfermeira:

SOLUÇÃO DE BICARBONATO DE SÓDIO

Pode ser realizada de 3 a 4 vezes ao dia:

01 copo de água fervida ou filtrada

01 colher (café) de bicarbonato de sódio

Preparar na hora de usar e não engolir;

NISTATINA SOLUÇÃO

Pode ser realizada de 3 a 4 vezes ao dia:

Colocar ½ conta-gotas em cada lado da boca, bochechar e engolir. Não ingerir nada por 30 minutos;

GLUCONATO DE CLOREXIDINA 0,12%

Produto manipulado. Bochechar de 3 a 4 vezes por dia.

Dica: Dar preferência para líquidos gelados como chá de camomila, sorvetes, etc. Porém, não utilizar alimentos gelados se estiver fazendo oxaliplatina.

OBSTIPAÇÃO INTESTINAL

Se durante o tratamento ocorrer obstipação, a qual pode ser decorrente do tratamento quimioterápico, medicamentos em uso, alterações dos hábitos alimentares, inatividade física, tente:

• Ingerir alimentos ricos em fibras, tais como: farelo ou gérmen de trigo, aveia, pão integral, grão de bico e verduras;

• Comer frutas frescas;

• Ingerir bastante líquido,  8 a 10 copos ao dia;

• Fazer caminhadas e exercícios leves;

• Evitar alimentos com fubá, maisena;

• Não utilizar laxantes ou reeducadores intestinais sem consultar o médico.

DIARREIA

A diarreia pode ocorrer durante o tratamento e pode ou não ser acompanhada de cólicas. É importante que a equipe de oncologia seja sempre informada caso esse sintoma persista por mais de vinte e quatro horas.

Dicas:

•  Beber muito líquido;

•  Comer frutas como maçã, banana maçã - ou prata , goiaba sem pele e sem sementes, melão, limão, caju;

•  Consumir arroz branco, batata cozida, chuchu, mandioca, carne magra,

•  Evitar alimentos gordurosos;

•  Alimentos derivados do leite devem ser controlados;

•  Evitar frutas como: mamão, abacate, ameixa ou tamarindo;

•  Evitar coco, frutas secas e uvas passas;

•  Evitar vegetais fermentativos (feijão, brócolis, repolho).

ALOPÉCIA

A quimioterapia pode ocasionar queda do cabelo (total ou parcial), decorrente da sua ação na raiz dos cabelos, onde estão as células responsáveis pelo crescimento dos cabelos .Assim , o cabelo e pelos podem se tornar mais finos , quebradiços e até cair. Esta perda é variável dependendo das medicações usadas e do paciente. O cabelo pode cair e nascer várias vezes durante o tratamento.

Dicas em caso de queda do cabelo:

•  Deixar o couro cabeludo o maior tempo possível ao ar livre;

•  Ter alguns acessórios de que goste tais como: perucas, lenços, chapéus, turbantes; 

•  Evitar o uso de tinturas e permanentes;

•  Evitar o uso de secador, bobs, sprays;

•  Usar escova de cerdas macias;

•  Evitar exposição solar, devendo proteger o couro cabeludo com filtro solar;

•  Após o término do tratamento seu cabelo nascerá normalmente.

•  Se possui cabelos compridos deve cortá-los, para diminuir o seu peso e adiar a queda.

FLEBITE

Devido a quimioterapia, as veias podem apresentar flebite (inflamação) e dor dificultando a punção.

Dicas: O uso de compressas de chá de camomila ajuda no combate à inflamação.

ALTERAÇÕES NA PELE E UNHAS

Alguns quimioterápicos podem causar modificações na pele, podendo escurecer algumas áreas, principalmente próximo às veias onde foram realizadas aplicações. A pele pode ficar mais seca, sensível ao sol, ocorrer prurido, descamação e aparecer espinhas. Usar hidratantes sem cheiros e sem álcool;

As unhas podem escurecer, ficar com crescimento mais lento e em alguns casos até cair.

Dicas:

•  Evitar exposição excessiva ao sol;

•  Utilizar filtro solar;

•  Evitar fazer as unhas tirando a cutícula.

ALTERAÇÕES NA MEDULA ÓSSEA

A medula óssea é responsável pela produção das células sanguíneas, que com a quimioterapia pode ser afetada, causando uma redução na quantidade de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e as plaquetas.

Durante o seu tratamento são pedidos exames regularmente, para que o médico possa avaliar, se ocorreu alguma alteração das células sanguíneas, e dependendo do resultado inicia-se ou não um novo ciclo do tratamento.

ANEMIA

A anemia ocorre com a diminuição dos glóbulos vermelhos, causando cansaço, fraqueza; palidez,vertigem; ou falta de ar. Em alguns casos o paciente necessita de intervenções como a transfusão de sangue, para resolver esse problema.

LEUCOPENIA

É a redução dos glóbulos brancos no sangue ,isto deixa a pessoa mais propensa a infecções, caso apresente febre durante o tratamento , avise o médico, pois as vezes pode ser um sintoma de infecção,e necessita de tratamento. Em caso de temperatura maior que 38º, comunique o seu médico ou a equipe.

PLAQUETOPENIA

A redução das plaquetas pode levar a pequenos sangramentos espontâneos e a hemorragias em casos de acidentes. Em alguns casos quando a contagem de plaquetas estiver muito baixa, é necessária a transfusão de concentrado de plaquetas, ou o uso de medicações para a recuperação. Pode ocorrer, devido ao número baixo de plaquetas, pontos arroxeados na pele, sangramento pela gengiva, nariz, urina, fezes. Comunicar sempre o seu médico.

Dicas para as alterações das células do sangue:

•  Evitar locais de grande aglomeração de pessoas durante o tratamento;

•  No período de leucopenia, restringir visitas;

•  Ficar atento ao aparecimento de pontos vermelhos pelo corpo ou a presença de sangramentos sem causa, como ao escovar os dentes ou na higiene íntima. Lembre-se de sempre comunicar o seu médico ou a equipe;

•  Comunicar a equipe em caso de fraqueza, palidez, palpitações ou cansaço excessivo.

OBS .: Existem alguns quimioterápicos que são de cor avermelhada e deixam a urina vermelha.

EFEITOS TÓXICOS SOBRE O SISTEMA NERVOSO CENTRAL

A quimioterapia pode causar alterações neurológicas como: formigamento ou adormecimento das extremidades, zumbido nos ouvidos entre outros. Em geral transitória, devido aos efeitos sobre a célula nervosa.

Dicas :

• Evitar dirigir no dia da quimioterapia, devido ao risco de tontura;

•  Evitar ficar desacompanhado nos dias que sentir tontura ou mal estar.

ATIVIDADE SEXUAIS

A vida sexual pode ser mantida normalmente. A quimioterapia pode causar alterações hormonais, modificando temporariamente o desempenho sexual de ambos os sexos.

As mulheres que menstruam podem sofrer alterações no ciclo menstrual, podendo ocorrer diminuição do fluxo e até suspensão da menstruação.

Pode ocorrer ressecamento da vagina, lembrando-se de avisar sempre o seu médico.

Evitar a gravidez durante o seu tratamento, devido aos efeitos colaterais sobre o feto. Converse com seu médico sobre a utilização de método contraceptivo. 

No homem as alterações hormonais trazem menos sintomas.

DEVO CONTINUAR A TRABALHAR?

As pessoas submetidas à quimioterapia podem manter suas rotinas, mas se a administração da quimioterapia causar desconforto fale com seu médico, pois ele

poderá orientá-lo sobre os seus direitos.

CUIDADOS GERAIS

•  Comer legumes bem lavados ou cozidos, frutas e legumes frescos.

•  Lavar bem as frutas, verduras e legumes. (DEIXE 30 MINUTOS EM SOLUÇÃO DE HIPOCLORITO DE SÓDIO).

•  Manter uma boa higiene pessoal.

•  Evitar cigarros e bebidas alcoólicas.

• Não tomar vacinas, somente com indicação de seu médico.

• Fazer sempre uma boa higiene bucal.

• Proteger-se do sol.

• Fazer repouso.

• Evitar ir sozinho às sessões de quimioterapia. 

• Evitar compromissos importantes durante alguns dias após a quimioterapia.

• Não fazer uso de medicamentos sem avisar o médico ou a equipe do setor quimioterápico.

• Ter cuidados especiais ao cortar as unhas ou cutículas. 

• Não há contra-indicação para atividades física ou sexual.

• Manter uma boa hidratação.

• Evitar o uso de lâminas de babear e alicate de cutícula, para evitar machucados na pele . 

• Não faltar às sessões de quimioterapia.

HIDRATAÇÃO

No dia em que for feita a quimioterapia e nos dois dias seguintes ingerir grande quantidade de líquidos em pequenas quantidades várias vezes ao dia. Utilizar água fervida ou filtrada, soluções isotônicas, gelatinas, sorvetes.

CONTROLE EMOCIONAL

Durante o tratamento, podem surgir algumas reações emocionais, decorrentes da dificuldade de adaptação a essa nova situação. O paciente pode ficar mais irritado, impaciente, deprimido, alterações emocionais que em geral são passageiras, mas podem persistir por um tempo mais prolongado, muitas vezes dificultar o seu cotidiano.

O estresse prolongado pode prejudicar o sistema de defesa do corpo, como consequência a pessoa fica propícia a infecções.

Dicas :

• Converse com alguém sobre os seus problemas. Pode ser um amigo ou alguém da família que possa ajudar a ver o seu problema de uma forma

diferente. Caso prefira a ajuda de um psicólogo, peça uma indicação ao seu médico,  a orientação profissional vai ajudar a minimizar o seu sofrimento. 

• A melhor estratégia para aliviar o estresse é aprender a relaxar.

• Não esconda seus sentimentos e não tenha vergonha, pois você está enfrentando uma situação nova e é comum que surjam diferentes sentimentos.

• Não se isole. Ficar sentado sozinho, sem, fazer nada, pode deixá-lo frustrado. Programe tempo para trabalhar e tempo para recreação.

• Atividades físicas e criativas quando feitas com prazer, podem ajudá-lo a enfrentar os problemas adequadamente.

QUAIS SINTOMAS DEVO COMUNICAR AO MÉDICO FORA DAS CONSULTAS PROGRAMADAS?

Comunique o seu médico os sintomas que estão incomodando, mas procure-o principalmente nas seguintes situações:

•  Febre (temperatura igual ou maior que 37,9'C);

•  Aparecimento de manchas (hematomas), discretos pontos vermelhos ou a qualquer sinal de sangramento;

•  Dor de localização, intensidade ou característica fora do normal;

•  Dificuldade respiratória;

•  Vômitos que persistem por mais de três episódios em 24 horas;

•  Aparecimento de lesões nos lábios e boca, com dificuldade para deglutir.

EM CASO DE NECESSIDADE COMO DEVO ENTRAR EM CONTATO COM O MÉDICO?

Durante a semana, deve comunicar a equipe do CTO no

horário das 08h às 19h através do telefone: (16) 6323 5191.

Fora de horário de funcionamento , finais de semana e feriados você deve procurar o setor Pronto Atendimento 24horas, onde a recepção irá agilizar o seu atendimento e você será avaliado pelo médico plantonista. E, se for necessário, o plantonista entrará em contato com seu médico.

QUANDO REALIZAR O TRATAMENTO SEREI INTERNADO?

A grande maioria dos tratamentos não requer hospitalização mas, em alguns casos, o tratamento requer esquema terapêutico que pode prolongar-se por

alguns dias,podendo ocorrer a necessidade de internação temporária.

CONCLUSÃO

Esperamos que este manual de orientações facilite sua vida e com isso, você enfrente o seu tratamento com mais segurança e tranqüilidade, porém não tenha receio de falar sobre qualquer dúvida a respeito do seu tratamento. Toda a equipe do CTO está disposta a responder suas perguntas.

O tratamento, mesmo sendo difícil, foi escolhido para garantir a sua cura e estaremos sempre preocupados com seu bem estar.