Luz Solar

O banho de sol até às 10h é favorável à saúde e ajuda a pele suas funções fisiológicas.

A ação dos raios solares sobre a pele (epiderme) aquece, oferece uma sensação de bem-estar, ativa a circulação sanguínea e estimula a produção da vitamina D, que protege o organismo contra o raquitismo.

Expor o organismo de forma inadequada a luz solar como em horários em que a radiação está muito forte pode causar graves danos a saúde. No Brasil, o câncer de pele é o mais frequente, o que corresponde a cerca de 25% de todos os tumores malignos diagnosticados.

Pesquisas modernas revelam que a exposição prolongada e excessiva durante os primeiros 10 até 20 anos de vida aumenta muito o risco de se contrair câncer de pele; a infância é a fase mais vulnerável aos efeitos deletérios da radiação solar. Em geral, as crianças e os jovens se expõem ao sol três vezes mais do que os adultos. Por isso o uso do protetor solar é importante e indispensável.

Nem todos os filtros solares oferecem proteção total contra os raios UV-A e UV-B. Deve-se escolher um que também proteja contra os raios UV-A (de amplo espectro), hipoalergênico e não-comedogênico (não formadores de cravo). Deve ser à prova de água e suor e específico para a prática de esportes.

A radiação UV-B é mais intensa entre 10h e 16h, por essa razão deve-se evitar a exposição solar durante esse período.

A radiação UV-A causa envelhecimento precoce e acredita-se estar relacionada ao desenvolvimento do melanoma maligno.

A exposição frequente e prolongada ao sol pode causar:

• Eritemas (queimaduras solares e lesões bolhosas na pele);
• Envelhecimento precoce;
• Manchas e dermatites (inflamações da pele);
• Desidratação;
• Câncer de pele, inclusive o melanoma (tumor maligno que mais frequentemente acomete a pele e o olho);
• Lesões, catarata e outros problemas oculares;

O câncer de pele quando diagnosticado e tratado precocemente e de forma adequada apresente grandes chances de cura.